Dica de Filme Nostálgico

Oi, gente linda!!!
Hoje vim falar de filme, uma discussão sobre um clássico e ao mesmo tempo, indicar para quem ainda não viu (que eu acho difícil). Sei que não é normal ver blogs falando de moda e logo depois filmes. Mas aqui estou eu, fazendo o diferente e espero que vocês gostem e conversem comigo, vamos lá?!

Quem não se lembra de Ariel, aquela sereinhazinha corajosa, que era apaixonada pelo mundo dos humanos e vivia em busca de “tesouros” no fundo do mar, que já tinha pertencido a humanos? Sempre ao seu lado, está seu amigo Linguado, um peixinho que por mais medroso que fosse nunca a abandonava nas suas aventuras. A Pequena Sereia (The Little Mermaid) é o 28º filme longa-metragem de animação dos estúdios Disney, lançado em 1989, uma adaptação do conto homônimo do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen.

Para quem não lembra a história, relembro brevemente – Ariel é uma princesa-sereia de 16 anos, fascinada pelo mundo dos humanos. Esse fascínio pelo outro reino ganha uma dimensão ainda maior, quando ela se apaixona perdidamente por Eric, o príncipe que ela salva de um naufrágio. Assim, ela não encontra mais consolo no reino do mar e faz um trato com Ursula, a Bruxa do Mar, que propõe torná-la humana por três dias, em troca da voz de Ariel.

Como a maioria dos clássicos da Disneys, esse filme não fica atrás em letras musicais, assim não nos surpreende pelo seu Oscar de Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção Original (Under the Sea). Ainda concorreu em outras categorias e ganhou mais prêmios. Três estrelas doDisney Channel já gravaram canções do filme, como a própria Under The Sea, gravada porRaven-Symoné em 2004; Kiss The Girl, gravada por Ashley Tisdale em 2006 e Part Of Your World, gravada por Miley Cyrus, além de uma versão de Kiss The Girl gravada por Colbie Caillat. Muitos outros artistas também gravaram músicas do filme.

Ariel é uma das princesas Disney mais corajosa e determinada, arriscando colocar uma opinião muito pessoal, ela e Bela (da Bela e a Fera) são as melhores, justamente por ter essas características. Na verdade, Ariel foi uma das primeiras princesas a não precisar de um príncipe, se você perceber, ela não canta para o homem da sua vida, mas sim por algo além, ela quer “muito mais” e ao invés do  príncipe a salvar, ocorre o contrário. Ela e Bela também não são loiras, contudo Ariel quase tem esse infortúnio, a escolha do cabelo ruivo da personagem deu-se porque ela passa vários momentos do filme em cenários escuros, o que inviabiliza um tom amarelo (predominante entre as heroínas da Disney). E a cor da sua cauda é “Ariel”, pois o tom verde-azulado é exclusivo dela.

Na versão original, Ariel realmente salva Eric, o que muda realmente é o final. Afinal, não seria um filme da Disney se não tivesse o “felizes para sempre”, como todas as outras adaptações, o final deste foi totalmente modificado. No conto de Hans Christian Andersen, o principe casa-se com a filha do Rei vizinho, deixando a Pequena Sereia de coração partido. Ela fica desesperada, desiste de tudo e acredita que apenas a morte a espera, mas antes da madrugada, as suas irmãs aparecem com uma faca de prata que a Bruxa do Mar lhes deu em troca dos seus longos cabelos. Se a Pequena Sereia esfaquear o príncipe com a faca e deixar o sangue dele cair sob os seus pés, ela iria voltar a ser uma sereia e o seu sofrimento iria acabar. A Pequena Sereia não tem coragem para matar o príncipe enquanto ele dorme deitado ao lado da sua esposa e, ao chegar a madrugada, ela atira-se para o mar. O seu corpo transforma-se em espuma, mas em vez de desaparecer, ela sente o calor do sol; ela tinha se tornado um espírito, uma filha do ar. Os outros espíritos contam-lhe que ela se tornou um espirito devido ao seu esforço e dedicação ao tentar ter uma alma eterna. (via Wikipédia)

O filme é um clássico musical que além de propor entretenimento às crianças, podemos perceber algo mais. Numa época em que as culturas são diferentes e pouco aceitas, notamos aqui que o mundo dos humanos e dos sereios também são proibidos (mais para a parte dos sereios, já que os humanos não tinham conhecimento do outro). Contudo, é o próprio pai de Ariel, ao ver a força do amor de ambos, que consente que sua filha parta, mude de forma e viva com a outra cultura. Havendo um casamento intercultural, uma mudança e tanto, diga-se de passagem. Hoje é menos perceptível esse tipo de coisa, mas somente porque os tempos vêm mudando, nem sempre para pior, graça aos deuses.

Você também deve se lembrar de uma série televisiva, sim, entre 1992 e 1994 houve um série animada baseada no filme. Aqui no Brasil foi estreada em 1993, exibida pelo SBT no programa Bom Dia e Cia até 1995, pela Rede Globo e pelo Disney Channel.

O filme ainda tem outras duas continuações, mas nenhuma se compara à primeira. É sempre bom poder assistir a clássicos como esse, hoje em dia percebemos que poucas crianças procuram esse tipo de filme, é uma pena. Mas vamos esperar que a Disney relance o filme em 3D nos cinemas, quem sabe não fazem novos fãs.

Ficou bem grandinho né o post? =p Mas dar pra entender um pouco mais sobre a história, eu gosto desse tipo de informação e vocês, o que acham? *Esse texto também foi postado em outro site, up-brasil.com, mas da minha autoria.

Beijos, Mika

Anúncios

Um comentário sobre “Dica de Filme Nostálgico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s